Boas vindas a quem chega!

Este é um blog destinado a falar de tarot. Para escrever sobre tarot e suas infinitas possibilidades. Para ler tarot, presencialmente ou online.

Para agendar a sua leitura, entre em contato: pietratarot@icloud.com

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Crônicas de tarot... mais um tantico do processo

Acho que tudo acontece sempre com A Torre. Porque essa queda nos impele a coisas. Uma delas, foi fazer os textos.

Journal de Snap
http://twistylane.blogspot.com/
Estava pensando nisso ontem, porque a crônica do prólogo, de como tudo começou, ainda não saiu.

Interessante é que algumas cartas, das mais complexas, acabam sempre saindo de um jeito diferente.

A Roda da Fortuna, é mais uma análise, uma comparação do que uma historinha.

O Enfocardo, teve pressa... saiu direto da cabeça para o computador.

O Julgamento tinha letras que pareciam derreter.

Ainda faltam O Mago, A Temperança, que eu quero que seja uma receita.

De tudo, o que é mais legal da crônica é poder registrar, quase como uma memória recontada, alguma coisa que se aprendeu. Quase uma epifânia de quando os arcanos pulam fora das cartas.

Pietra, indo escrever A Temperança

Encerramentos e agradecimentos

Não tem como chegar o fim de ano e não fazermos pequenos balanços. Claro que eu penso que os balanços vão vindo todos os dias, após a cada evento, e por isso, inclusive o blog existe.

Assim, a crônica de hoje vai para alguns pontos excelentes e/ou marcantes do ano de 2011, observando inclusive, qse um ano do blog Tarot: Leitura e Escrita.

Uma das coisas mais legais de tarot esse ano foi o Tarot Game e toda ai interação que ele proporcionou. Jogou com a criadora, joguei com os amigos e percebemos como o tarot pode, tal qual suas origens ser lúdico - e ainda nos dar grandes insights.

O deck que eu mais curti esse ano foi o Morgan-Greer. O danado tem a minha idade e é absolutamente excelente e claro para fazer leituras.

Das pessoas, primeiro, acredito que ganhamos um ancestral. A beleza das ideias e estudos do Adash van Teufel, que conheci Mago do Destino, foram de grande valia e vão viver com a gente, enquanto formos uma comunidade de tarot sólida e coerente.

Depois, com muito prazer posso chamar pessoas que admiro muito de amigos (tarólogos): Vera Christina, Nei Naiff, Leo Chioda, Edu Scarfon (q nem era segredo) e Claudiney Prieto - tudo que eu tenho a agradecer a esses queridos é pelo apoio físico nos encontros e nos fazeres de tarot. É o amor por ele que faz com que prospere e que seja cada mais visto com seriedade!

Não deixo de lado os meus amigos, sempre amigos tarólogos e amadoss: Sarah Helena e todo o seu toque, Nath Hera que trouxe coisas lindas para a gente, tal qual a Priscilla Lhacer! Decks são com vcs! Barbara Guerreiro, que Luciana Onofre e fizemos nosso monstrinho de tarot!

Aos meus alunos, obrigada, aprendi muito com vcs!

Adorei quem eu conheci esse ano, como Léo Dias, Edy de Lucca (maravilhosa), Andrea Souza, Amandette, Emanuel e Kate Chapman por suas incríveis contribuições.

Nos movimentamos. Viemos a São Paulo, fomos ao Rio. Lá, conheci dona Yedda Paranhos e com ela vi que mesmo com os fogos de palha que aparecem em nosso mundo, algumas coisas ou pessoas ou atitudes são castelos de cartas. 50 anos de dedicação ao tarot. É isso que eu desejo a todos de boa vontade ccm o mais lindo oráculo!

2012 está chegando. O Hierofante aponta um caminho de tradições, de ensinar e aprender. Eu, desejo a todos os amigos, leitores, alunos, curioso um ano de muitas e lindas copas, muitos ouros e um Hierofante especialmente benevolente!

Bjos
Pietra

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Uma tradição e um exercício

Todo ano, impreterivelmente, eu tiro uma carta para assinalar meu semestre. Ou seja, qual será o tom a seguir pelos próximos seis meses?

Isso acontece na noite de ano novo.

Então, fica a minha proposta...

Tire a sua carta de ano novo... para o seu semestre e veja como ela se relaciona com o arcano de 2012, O Hierofante. Pense em semelhanças, diferenças. O que um diria ao outro? Qual lição O Hierofante ensina com o tema da carta que você tirou?

Sem dúvida, isso tudo ajuda muito a pensar em como podemos viver nosso primeiro semestre de 2012 do melhor jeito possível.

Boa sorte!
Pietra

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Leitura de 2 cartas

Ao acontecimento curioso desses dias e de uma inspiração de colega tarologista, resolvi escrever um tantico sobre duas coisas que aprendi... E nem sempre ponho em prática, mas que vale pelo menos um tanto de atenção e, tomara, a leitura desse posting.

Tirei uma carta do maço e, antes de dar atenção a qualquer outro detalhe, como cores, palavras ou desenhos, o número me chamou a atenção. 9. Na hora pensei: de paus! E logo veio mesmo toda a coisa de defender e resolver e fazer por conta de si. Então, olhando direito, vi que haviam muitos pentagramas na carta. Nove sim, de ouros.

Auto-indulgência? Satisfação.

Na conversa que procedeu isso tudo, vieram as ideias de como podemos ver o que queremos... do que podem ser atos falhos, da mente, da leitura. O alívio? Que acontece com todos! A curiosidade? Bem, a carta que pensamos que fosse pode ter um tanto grande de diferença com a carta que realmente apareceu.

Numa ocasião, aprendi que é possível fazer:

- pense numa situação a qual se tem vontade de resolver, solucionar, acertar ou nos aconselharmos. O que você acredita que seja o melhor? Ou o desejável?

ESCOLHA uma carta que designe a tal.

- embaralhe bem o deck e pense: Qual é a melhor forma de resolver a coisa?

A carta que se tira demonstra o que é que a vida, o destino, o universo, a soma de nossas atitudes efetivamente nos aconselham.

O que fazer com essas duas cartas?

Bem, pode-se fazer um contexto do que se deseja fazer x o que precisa ser feito. Há também a possibilidade de ter uma história se construindo: para poder ter a solução desejável é preciso que...

O importante aqui é perceber que em tudo que fazemos tem a mão de quem faz... e tem sim, o toque do destino =)

Pietra

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

2 de ouros

Shadowscapes Art
www.shadowscapes.com
Fim de ano... compras, família, presentes, contas, impostos, novos planos.

Ufa!

Como será que eles fazem, lá no Cirque du Soleil?

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Sente-se, por favor

O tarot é uma ferramenta excelente para todos. Desde quem busca autoconhecimento até para as mais cotidianas adivinhações. O baralho pode ser parte da sua mão, e os símbolos, sua segunda língua. Tanto que até se corre um risco de fazer uso de uma linguagem jargonesca, cheia de "piadinhas internas" de tarólogos. E não que se deseje que as pessoas fiquem de fora. Não. Talvez seja um convite para se inteirarem mais e mais. Um forma de colocar sim uma pulga atras da orelha.

A questão é que nem todos no mundo querem saber de tarot. Ou querem, mas que os tarólogos façam a previsão e as pessoas as recebam. É quase como um processo de ir a um restaurante. Você quer comer. Não se importa muito com o como ou porque aquela comida está sendo feita. Problema do chef. Com a previsão, a mesma coisa. Problema do tarólogo.

Mas, de tudo, acredito que seja vital que tarólogo e consulente se encaixem. Como a comida e o restaurante. Quem não gosta de sushi, não vai ao japonês. Os encaixes se dão, então, não só em agendas, e sim numa empatia que faz com que se confie naquela pessoa na sua frente. O tarólogo pensa: será que ele/ela está aberto para mim? Será que veio buscar um conselho ou quer que eu adivinhe o que está pensando? E o pior de tudo: será a pessoa vai me ouvir?

Já o consulente deve pensar coisas como: será que essa pessoa sabe o que está fazendo? Será que vai acertar meu caso? Será que não vai dizer que eu "tenho macumba e preciso fazer um trabalho de limpeza de muitos reais"?

Tudo aqui é legitimo. Todas as preocupações. Todos os receios. Porque uma pessoa entrega a um tarólogo um momento único de sua vida. É a confiança. Já o tarólogo precisa ler as cartas e fazer com que caibam num contexto coerente para aquela pessoa à sua frente. Um equilíbrio imensamente delicado.

Assim, tudo começa com um sorriso cordial:
- Sente-se, por favor. No que eu posso te ajudar?

A conversa transcorre e, quiçá, a química acontece. O consulente conta sua vida buscando orientação, percebendo que nem sempre é como se quer. O tarólogo, compreende, ajuda, acolhe e termina:
- Vai. Tira uma última carta. Ela é para você ser o melhor você que puder ser.

A leitura desse derradeiro conselho deixa pessoas fortalecidas. Seja para acompanhar seus aconselhamentos prévios, seja para ouvir um sim ou não, seja para lidar com quaisquer 5s que apareçam pela leitura.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Rainha de Espadas

Tarot of Dreams
É aquela que sempre tem alguma coisa para dizer. Para seu bem... nem sempre tão bem é como ela diz as coisas.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Morte

Clipart by xunantunich - http://clipartof.com/1084026
Não tem jeito. Sempre que eu penso no arcano sem nome, me vem: é de passar dessa para melhor.

domingo, 18 de dezembro de 2011

sábado, 17 de dezembro de 2011

Reencontrando o Gaian Tarot

Quando a Joanna P. Colbert lançou a edição de colecionador do Gaian Tarot foi uma coisa de celebração. Comemorava-se ela ter conseguido, depois de 9 anos completar as 78 cartas de seu deck. E, para quem acompanhou esse processo, foi um momento feliz. Comprar o deck e esperar chegar, tudo feito de forma independente foi compartilhar a alegria de um trabalho bem feito.

Eu nunca vou me esquecer de quando fui ao correio e trouxe o pacote. Cartas maiores que meu iPhone, feitas com papel reciclável e tinta de soja. Tudo verde. Tudo como manda o figurino de Gaia.

Esses dias, revivi um pouco dessa emoção, pois re-comprei o deck. Os direitos foram comprados pela Llewellyn WorldWide e o deck ganhou formatação e um livro mais comerciais. Ou seja, o de colecionador é para as aulas, exposições, meditações. O pequeno, bem, para andar todo dia junto e fazer as mais diferentes leituras.

É bonito e importante ver que um trabalho bem feito, inspirado e inspirador pode chegar ao grande público. Pode trabalhar com mais pessoas.

O Gaian Tarot é um desses decks que acompanhei nascer, crescer e vê-lo disponível é de uma satisfação imensa. É uma grande contribuição para a comunidade de tarot brasileira. Um jeito de expandir e conhecer e saber que pode estar entre muitos!

Pietra, olhando as estrelas de uma pocinha

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Top 10 compras de tarot de 2011

Dadas as alegrias de encontros desse ano em termos de tarot, com a Confraria, o World Tarot Day  - que em Sampa foi ótimo - e todos os encontros, desencontros e ancestralidades ganhas, tivemos oportunidades de conhecer coisas ótimas.
Sem dúvidas, algumas dessas se tornaram compras. Então, resolvi colocar aqui 10 das que eu mais gostei!

10 - Deviant Moon Tarot
Achei que não ia dar conta... mas depois de ver a empolgação da Luciana Onofre sobre o deck, acabei por descobrir um de significados muito interessantes.

9 - Tarot for Dummies 
Livro muito curioso... adoro as perguntas que estão nele. Ajudam muito a pensar.

8 - Guia de Tarô, de Yedda Paranhos
Depois de conhecer essa senhora incrível, não poderia negligenciar o livro que ela escreveu. 50 anos dedicados ao tarot. Coisas maravilhosas a aprender.

7 - Pamela Colman Smith Commemorative Set
Ganhei do marido em janeiro. O deck tem uma colorização linda! Fora que a obra escrita contando a vida e falando da arte da Pamela é excelente. Uma homenagem e uma referência.

6 - Wizards Tarot
O deck é lindo... as imagens bem feitas e o contexto dele, bem interessante, pois coloca os arcanos maiores como professores de uma escola como Hogwarts. O livro que vem junto ensina também pequenas magias ou como usar os arcanos menores como amuletos.

5 - Magical Forest Tarot
Porque é fofo e eu nunca tive um deck de design oriental antes.

4 - Ancien Tarot of Marseilles
Da casa Grimaud. Também nunca tinha tido um tarot de Marselha antes... gostei inclusive de saber que eu dei uma boa casa para um deck que estava sendo vendido numa feira de antiguidades.

3 - Understanding the Tarot Courts
da Mary Greer. Uma leitura excelente para aprender e compreender as cortes do tarot.

2 - Golden Tarot
porque alguns decks são mesmo obras de arte!

1 - The Tarot Game
A ideia da Jude foi ground-breaking, ou seja, foi uma tremenda! De uma forma lúdica, se faz leituras... se conta histórias e vamos melhorando pedacinhos de nós mesmos!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Em breve, 2012. Em breve, O Hierofante.

E, a despeito de todas as maledicências sobre o ano, ainda temos 350 dias, pelo menos, para vivê-lo em toda sua glória.

PS: não acho que o mundo vá terminar em 21 de dezembro de 2012. Acho que, no limite, vamos celebrar um bonito solstício de verão. Que tal? E não gosto de alarmismos com as coisas... Até pode ser que as coisas hão de se mover de forma diferente, mas, enfim... não acho que será Apocalypse Now...

Fazendo as continhas, 2012 será regido pelo Hierofante. E eu amo isso! Primeiro porque é meu arcano pessoal, segundo porque pode-se, com ele, aprender lições de fé, de cura ou simplesmente, lições.

O Hierofante vem sim do Papa. Mesmo porque era o que tinha para a renascença. O Papa. E ele era bem importante. Pois era a pessoa que fazia tanto a fé quanto a política acontecer. E, mesmo com o tempo passado, muitas pessoas contam com seus padres, em suas paróquias, e até seus pastores, líderes espirituais, vamos por assim, para aconselhamento, acalentamento e troca.

O papel dessa pessoa, da pessoa do arcano 5 pode ser sim uma de austeridade e de manutenção de tradições. Isso é ruim? Não, necessariamente. Pois pode ser o que garante que caminhos se mantenham. A grande coisa é não deixar que esses caminhos se tornem absoletos ou agressores.

Eu penso muito no Hierofante como um guia, um mediador, um professor. Ele conhece seu lugar, as pessoas que o cercam e oferece à elas ensinamento, reflexão e um respiro de fé... ou de boa vontade.

Assim, acredito que 2012 será sim um ano para buscar caminhos de fé... e espero que não seja por medo de ir pro inferno... Mas por uma busca autêntica de um entendimento do mundo e de ganho de consciência.
arcano 5, Shadowscapes Tarot
www.shadowscapes.com

Acredito também que as pessoas poderão aprender e ensinar... partilhar o que sabem, de como fazem as coisas. Do que já sabem, poderão se refinar.

Por fim, penso que será um ano de muito aprendizado. De um aprendizado que faz com que cresçamos e tenhamos paz. Paz de espírito. Para o que quer que seja que encontremos no caminho.

Sacerdote de Apollo diz: Conhece-te a ti mesmo. Tarot oferece essa possibilidade. Te conhece, pessoa. Saíba quem é você como Hierofante... frente ao Hierofante... quem é você na Torre, na Morte... na alegria do Mundo.

Como diria a Lagarta do País das Maravilhas: "Quem... é... você?"

Teremos 350 dias, pelo menos, para refletir!
Pietra, hierofantando!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Lua soberana

Se algum dia alguém lhe disser que A Lua é a luz no fim do túnel, acredite. Pois na magia da Lua tudo pode acontecer!

domingo, 11 de dezembro de 2011

Ancien Tarot de Marseilles

Hoje fui agraciada!

Domingo de Apollo, passeando numa feira de antiguidades, pensando em como os Deuses permanecem em tantos temas ao longo do tempo - estatuetas, pinturas, broxes - encontro essa pequena preciosidade numa banca.

Converso um pouco com a senhora responsável pelo lugar e ela me conta que o deck era de sua mãe e que estava aproveitando para colocá-lo entre as antiguidades e vendê-lo. Abri as cartas, completo, e puxei uma, Rainha de Espadas. Acho que a mulher não era das mais fáceis. Espero que ela saiba que agora esse deck vai ter uma dona responsável.

Nunca tive um baralho francês. E este é de 1981. Da casa de Grimaud.

O que eu fiquei observando nas imagens é que estamos na essência das cores primárias... e fiquei pensando em como poderíamos mexer mais nelas com mais cores... enfim...

Ah, sim... os significados. O deck veio com um little white book, francês e inglês, e muitos dos significados são curiosos. Por exemplo,
9 de espadas: a batalha da matéria trabalhando para evoluir. A batalha de todas as coisas vivas. As aspirações da matéria em rumo a uma grande libertação.
5 de paus: um desejo de entender e perpetrar os mistérios, sem, no entanto, ter impedimentos na vida material. Uma carta indeterminada. Plano cujo resultado não pode ser determinado.
4 de ouros: carta que significa a expansão psíquica e o equilíbrio entre os diferentes planos.
6 de copas: equilíbrio. Sucesso garantido e duradouro porque é perfeitamente harmônico. Imobilidade. Um estado das coisas que não pode ser alterado.

Curioso, né?
Em alguns casos, ainda se determina se uma carta pode ou não ser afetada pelas que estão à sua volta. O Imperador, por exemplo, não é afetado em nada, enquanto as rainhas dão seus conselhos de acordo com as cartas que as cercam.

Fiquei pensando sobre essas formas todas de ver as cartas...

Pietra, curtindo um brinquedo novo! Ou, melhor, redescoberto!



sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

2011 - Ano do Imperador

The Alchemical Tarot Renewed
Este foi um ano do Imperador. Ou está sendo...

Da força e da liderança, o Imperador mostra o caminho. O caminho de fazer uma nação. Logo, uma de suas palavras é trabalho.

Então, o que podemos dizer que vimos ou fizemos?

- Trabalhamos muito. Até num intuito de criar coisas. E, ao que me consta, o que se plantou esse ano, deu flores.

- Lideramos movimentos que interessavam... Ou pelo menos, tivemos coragem de assumir posições.

- Quem teve questões com autoridade põe o dedo aqui! o/

Acredito que foi um tempo para podermos aprender sobre como construímos coisas e o que é preciso para ser sólido.

Agora, penso que é o tempo de aproveitarmos esse reino, constituído, e abrir espaço para os ensinamentos do Hierofante que vem vindo aí!

Pietra, esperando seu ano!!!!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Processo criativo - crônicas

Imagino que alguns dos leitores do blog já saibam que eu ando em processo criativo e literário. Estou cozendo uma coletânea de crônicas tarológicas que, dando tudo certo, estará à disposição dos amigos e leitores =)

Digo que de 22 crônicas, 11 já nasceram. Umas eu gosto mais, outras eu acho que precisam de melhoras, mas assim, vamos indo, palavra por palavra para dar, literariamente, um significado para nosso oráculo favorito.

Royo Tarot
O que eu tenho pensado muito é em relatar momentos nos quais os arcanos se mostrem, para que possam demonstrar como os arcanos saem de suas casinhas cartas e caem no dia da gente, em seus fazeres e significados.

Então, gostaria de compartilhar com vcs um pedacinho de um dos textos...

"Pois bem.
Nessa leitura, essa de auto-aconselhamento, quem pegou a carta "a casa caiu" literalmente, fui eu.
Torre. Ela mesma. Arcano 16. Depois do Diabo. Antes da Estrela. Depois do exagero, antes da esperança e da cura. Ou seja, o momento do caos instaurado..."

E daí já temos O Louco, O Carro, Os Enamorados... e o resto vem vindo... vou contando pra vcs!
Pietra

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Da experiência e da frustração de adquirir um novo deck

Comprar um deck novo é sempre uma experiência... ou deveria ser. Se adquirimos um novo baralho de tarot é porque aquela obra nos interessou de uma certa forma. Pode ser pelo conceito, pelo conteúdo, pelo autor... E, muitas vezes descobrimos isso através da ajuda dos colegas, que compartilham fotos e ideias... Outras vezes, não raras, é quando vemos o deck de alguém. Pegamos na mão ou vemos uma leitura com aquelas páginas e nos apaixonamos...

Uma outra forma é quando nos inspiramos e, passeando em uma livraria, vemos um deck e se torna paixão à primeira vista. Passar no caixa e ter aquela ansiedade de sair da loja, abrir os plásticos e admirar as cartas.

Infelizmente hoje, muito das nossas compras estão destinadas a serem feitas pela web, o que retarda um pouco desse sentimento, e traz um tanto da ansiedade de esperar o correio chegar. Assumo que, muitas vezes, é a nossa única possibilidade. Mas deveria?

Será que devemos ser privados de ver e experimentar uma coisa que estamos a fim de comprar, de compartilhar com os outros colegas? Será que temos de ficar à mercê de apenas uma loja/distribuidora/etc e tal? É claro que se eu quero um iPod, ele só vem da Apple, mas se eu quiser, eu posso comprar da Amazon, da Fast Shop, da Saraiva, se vacilar, até das Casas Bahia.

Então, preocupada com o acesso que podemos ter e fiz contato com a US Games lá nos EUA que resultou numa ligação do representante da empresa no Brasil. Que me explicou que seu quisesse comprar tarot da empresa seria por eles - que distribuem para outras lojas e que poderia comprar assim.

Outras lojas? Quais?
Algumas que andei vendo cobram preços abusivos por decks que custam US$24.00. EU sei que existem impostos... mas pera lá...
E ainda insisto, lojas, quais? Se podíamos muito bem ir á Livraria Cultura e passar a tarde escolhendo.

Aliás, falando em Livraria Cultura, me foi dito pelo representante brasileiro que ele não deseja fazer negócio com a mesma pois discorda dos planos de pagamento, porém sugeriu que eu fosse até falar com o dono da loja. Pois bem, eu sou o cliente e não me disponho a fazer o trabalho de representante da US Games... não sou paga para isso. Quem é que deveria fazer esse trabalho mesmo? Ah, sim... o representante no Brasil.

Representante também que quis deixar a entender que a comunidade de tarot que esteve na Confraria de Tarot não é tão representativa assim, pois "se tratou de 30 ou 40 pessoas." A Confraria Brasileira de Tarot teve, em sua primeira edição, 120 pessoas, todas interessadas e pensando e fazendo pensar o tarot.

Se uma loja abre ou deseja representar uma marca, que saíba muito bem quem é seu público. Não somos deslumbrados ávidos por decks fáceis. Somos seres pensantes e que têm suas preferências teóricas e de estudo. Claro que nos apaixonamos... claro que compramos por impulso... E por quê não podemos comprar por impulso na livraria mais próxima? Por que o marketing do distribuidor não quer ou não sabe negociar?

Assim, amigos e leitores desse blog, participantes do Chá de Tarot, amigos da Confraria, eu digo... tarots existem muitos e muitas possibilidades de comprá-los. Da Amazon.com a Livrariacultura.com.br . É importado? Tente: betterworldbooks.com Não cobra frete pro Brasil. Ah, a amiga Priscilla Lhancer tem sua loja, Amor, o Próprio. Inclusive, ela nos arranja decks mais "difíceis".

Tarot é paixão, é estudo, é arte. Que ele não caia na malha maldosa do editorial ou pior, do marketing, irresponsável e capitalista selvagem.

Pietra

2011, quase lá

O blog Tarot: Leitura e Escrita foi um projeto que começou há um ano atrás. E nasceu em janeiro de 2011. Pelo blog, consegui expressar alguns pensamentos, compartilhar descobertas, estudos, livros, decks.

Juntamente com o blog, outros projetos aconteceram, como o Chá de Tarot, os cursos online e a Confraria Brasileira de Tarot - a última, que acontece de novo em 2012.

Então, o primeiro ano desse espaço praticamente fechado, preciso falar da minha satisfação de participar de eventos, de conhecer gente linda, de rir e de chorar juntos. =)

Então, resolvi fazer um pequeno exercício e perguntei ao tarot: Quais grandes lições aprendemos esse ano?
5 de ouros; 3 de copas; 5, O Hierofante.
Nova Tarot

Assim, estou pensando que o ano tenha falado muito de como precisamos nos colocar em nossos lugares, senão corremos sérios riscos de ficar doentes ou perder a energia, a vontade... Me lembro de ter machucado as costas numa de querer ser super-heroína. E de ter de repensar questões de $$$ seriamente... (ainda em processo, hihihihi). Também penso na alegria de estar com pessoas e de poder conhecer tanta gente inteligente. Acho que em 2011, o tarot foi celebrado entre os seus. Por fim, foi um ano de ensinar e aprender. De colocar muitas coisas que já sabíamos à prova e melhorar nosso conhecimento.

Ano que vem começa logo... e vamos ter chance de fazer mais... ou melhor =)

Pietra, com um ás de copas cheio de champagne

domingo, 4 de dezembro de 2011

Crônicas de tarot

O tarot tem uma função tão importante na minha vida, que não importa por quais caminhos eu ande, ele aparece. Ou se reflete.

Kitchen Tarot
Nesses momentos que eu penso que ele é mesmo uma língua. Como uma segunda língua, adquirida. Dentro de mim e que se mostra nas significações do que se desenha na minha frente.

Assim, estou cozendo, tanto em português quanto em tarot, uma série de crônicas.

Se a crônica é um retrato de um momento que há muito serviu aos jornais para dar os clímax dos tempos vividos, para mostrar um pedacinho de nossa História e realidade, porque não escrever um tanto sobre como esses retratos se dão? O que é a realidade do tarot?

Bom, as coisas vão indo bem e O Louco, O Carro, A Imperatriz e até A Torre ganharam seus textos.

Tarot pode ser muito literário. Muito artístico. Porque, como qualquer uma das linguagens que nos comunicamos, tarot é sempre subjetivo.

Pietra, entre linhas.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Leituras para orientação

Ano novo chegando!
Se quiser fazer uma leitura para se orientar, conhecer as tendências e saber mais dos próximos 366 dias (eba, ano bissexto), agende sua leitura!

Da mandala astrológica para olhar o ano todo até os aconselhamentos mensais e pessoais, o tarot está pronto para te ajudar e te orientar.

As leituras podem ser feitas via Skype, e-mail, pessoalmente e pelo Tarot Game.

A agenda está aberta!
pietratarot@me.com

Até lá!
Pietra

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Fim perfeito

Ontem, quando eu tirei os Enamorados, o dia terminou perfeito.

Quem já assistiu "Simplesmente Amor"?

Ah, amor e suas possibilidades.

A minha favorita é do Jamie e da Aurélia.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A Roda num ventilador, o Louco num palhaço

Vendo o filme O Palhaço com o Selton Mello, me pareceu impossível não ver:

- a forma com que os veículos, Carros, se movem pelo filme e como a mudança interior de uma personagem muda completamente a perspectiva de como damos andamento aos objetivos. A estrada tem sempre seus paliaremos, suas poeiras, suas desatinações. Se a andamos de bicicleta, pau-de-arara, kombi ou a pé, tem horas que é só uma escolha. É só saber para onde ir.

- a beleza do Diabo, da tentação, da malícia e do roubo são sim notados pelos Loucos e acabaram gerando credibilidade nos Eremitas e Hierofantes.

- palhaços têm sim a luz do Louco de roupas coloridas, um tantico se atenção distraída que o deixa fazer o que mais ninguém faz. E na caminada do Louco, para seguir seu coração, como Enamorado, encontra finalmente o que e quem o faz rir. Que lindo. É a roda que determina nossos novos momentos, nosso crescimento na vida. Vida e Morte de quem mantém sua essência e a aperfeiçoa.

Do mais, eu juro que vi naquele ventilador uma tremenda Roda da Fortuna. Que põe tudo em movimento, que oportunisa as transformações.

Tem horas que é só ir atrás e conquistar o ventilador. O que essa aventura nos dá, faz com que todo no resto se desencadeie. Nos tornamos mãos plenos e conscientes de quem somos, mesmo sendo O Louco.

Pietra, convidando a todos para ver o Palhaço.

domingo, 27 de novembro de 2011

Palestra sobre Tarot como instrumento de Bruxaria

Foi um encontro de domingo cedinho...
E para falar de como uma espiritualidade responsável pode ser apoiada por uma boa prática de oráculos.

Os oráculos, como o tarot, além de apontar caminhos, pode nos ensinar posturas desejáveis e através do entendimento dos símbolos, podemos inclusive, fazer magia e melhorar nossa realidade.

O tarot é um conselheiro valioso. Que nos ajuda a compreender o que está à nossa volta. Pode nos apontar o que nos enfraquece e pode nos indicar o melhor remédio para nossa cura.

Algumas vezes, o tarot é a própria. Pois nos ensina, a cada dia, a lidar conosco. Autoconhecimento... quem é você quando a Torre aparece, por exemplo?

Quero agradecer de coração quem esteve comigo hoje cedo! Foi uma experiência muito gostosa. E como eu sempre digo, Rio, eu gosto de você!

Pietra, de volta a Sampa!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Dia de Ação das Graças

Hoje, 24 de novembro é o Thanksgiving Day, no qual, preponderantemente, se pensa em perus e tortas de abóbora com sorvete - adoro!

Porém, durante o dia, a amiga Cássia, me lembrou que hoje é sim dia de ação das Graças. Lindas deusas que acompanham Afrodite e fazem com que as bênçãos que os Deuses nos mandam, me concretizem no plano físico.

Assim, no dia de ação das Graças, agradeço sinceramente a quem me acompanha no blog, a quem vai às palestras e encontros do Chá de tarot. Agradeço os meus queridos alunos de tarot que fazem muita coisa acontecer.

Obrigada, amigos queridos, pois vcs fazem toda essa alegria de carinho, tarot e Pietra!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Semana de Ação de Graças 3

Amanhã é o dia... queria estar com o peru preparado e a família reunida, mas ainda demora um mês. Mas ok =) O que vale, literalmente, é a intensão.

Hoje, a carta que veio para nos ajudar a pensar no que estamos agradecendo, é o Ás de Ouros.

Morgan-Greer Tarot
Ah, minha semente. De todos os ases, de todas as possibilidades, acredito que ele seja a mais visível, aquele feijãozinho que colocamos no algodão e vamos acompanhando brotar, olhos vistos.

Do site Tarot Teachings:
"Já pensou em novas formas de encontrar curas para seus assuntos?
E quando encontramos oportunidades muito empolgantes e promissora?
Tem horas que temos de fazer o que precisa ser feito. Pois resultados apenas vem quando fazemos o trabalho duro antes.
E não se esqueça: aproveite o que está na sua vida nesse momento. Existem momentos que temos de fazer, uma coisa de cada vez, um dia por hoje!"

Reflexão de agradecimento:
Agradeço pela oportunidade de colocar um lance no lugar. E de curtir oq já existe!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Semana de Ação de Graças 2

Shadowscapes tarot
Hoje vamos aprender, observar e agradecer com o 9 de paus...

Do site do Shadowscapes:
"Vigilância, força em reserva, estar preparado.
A sentinela se mantem vigilante e lá do alto observa, são guardiões eternos. Eles defendem contra o desconhecido, contra o que vem do abismo - talvez seja apenas luz e névoa que vem do fim do mundo, porém nunca foram além dali. Sabem apenas que foram incumbidos de cuidar daquele local, olhos para o oeste, onde a luz se vai ao fim de cada dia".

Reflexão e agradecimento:
Agradeço por deixar as coisas acontecerem e saber que, se precisar, a gente se defende; se não, aproveitamos!

domingo, 20 de novembro de 2011

Semana de Ação de Graças

Como é sempre muito importante olhar em volta e perceber e agradecer pelo que aprendemos, mesmo nos momentos mais encardidos, vem a proposta da semana: tirar um arcano diário e observá-lo. No fim do dia, agradeça por algo que aprendeu, percebeu ou se reafirmou sobre ele.

Prontos? O primeiro:
7 de paus
"coragem para lidar com a adversidade. Você para o que está fazendo para superar uma dificuldade. A bravura será recompensada".
Do Golden Tarot lwb

Reflexão de agradecimento:
Superar a dificuldade hoje realmente foi um desafio, porque pareceu que tudo estava se encalacrando. Então, veio a poesia e me fez colocar os paus de lado e fazer parecer que toda aquela coisa pesada cai por terra... Obrigada, 7 de paus por me mostrar a intensidade e a leveza!

Breve reflexão

Torre...

Um raio que ilumina. De repente.
E faz com que tenhamos uma atitude. Assim. Sem prévio planejamento. Ponto final.

Próximo parágrafo? Estrela.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Por que tarot para si?

Dia 30/11 começa o curso online "tarot para si".

Mas por que escolhi esse tema?

Porque sou uma entusiasta de usar o tarot como instrumento do tarólogo para o tarólogo. Acredito que, se temos uma habilidade e um conhecimento, podemos usá-los também para nosso benefício. Se professores alfabetizadores lêem, tarólogos deveriam fazê-lo para si.

Porém, sempre que esse assunto vem à baila, vemos que a grande coisa é a ansiedade que toma o tarólogo e, assim, esse acha que está vendo de mais ou de menos, que não pensou muito bem sobre aquilo.

A idéia desses encontros semanais do curso é aproximar o tarólogo do tarot como um ser humano se aprochega de um livro.

Tudo começa com seu arcano pessoal e por meio de uma prática e reflexão diárias, vamos nos aventurando mais e mais a pedir conselhos ao tarot.

Mas, Pietra, e quando a coisa é mais séria? Pois bem. É a mesma coisa, pois sabemos e dizemos ao consulente que é preciso paciência e degustação da leitura.

Querido tarólogo, precisamos nos exercer como fazemos ao próximo: ter paciência, persistência e atenção. Assim, Lemos para nós mesmos!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Novo curso online

Hoje, dia 16/11, termina o curso online de leituras e tiragens.

Então, para não deixar saudades, o próximo módulo começa em 15 dias!

Curso online de Tarot para si.



O tarólogo sempre sente um pequeno receio de fazer leituras para si. "Será que estou vendo demais ou de menos?"

Venha apaziguar essa voz com exercícios e práticas que levam o tarot para ser um instrumento, também, do tarólogo.

4 encontros, às quartas-feiras a noite. 20hs.

Investimento: R$90,00

Dúvidas? Escreva: pietratarot@me.com

Te espero!
Pietra

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Atividade com Tarot, proposta de Jude Alexander


Original em http://divineplayproductions.com/412/
Tradução livre minha.

Jude Alexander, criadora do Tarot Game fez essa proposta de contação de história com o tarot e como parte das jogadas do tabuleiro. Segue a ideia

Quando jogando o  Tarot Game e para em um espaço STAR, você pode escolher até 5 cartas do deck completo. Então, começando com "era uma vez", conte uma história curta baseando-se nas imagens daquelas cartas. Tente contar a história na ordem com que as cartas foram tiradas, mas, como variação, você pode rearranjá-las.

Segue um exemplo:
Cartas tiradas por mim, diferentes do post original - sim, eu quis experimentar essa escrita.

Era uma vez uma família que viva feliz em um reino próspero e pacífico. 
Esse reino tinha uma tradição: uma vez por ano os senhores das terras eram convocados a prestar seus serviços como cavaleiros ou senhores de armas para guardar as fronteiras e assegurar a volta dos comerciantes e a boa vinda das colheitas dos agricultores e criadores de animais.
E esse momento chegou. Famílias se preparavam todas para despedir-se de seus homens que seguiam diferentes rotas ao longo da terra real, trazendo a riqueza em segurança a todos que ali moravam.
Depois de muito ver seus familiares fazerem esse trabalho, William parecia muito entusiasmado. Era a primeira vez que sairia montando para trazer um grupo de agricultores de trigo de suas fazendas. Guardaria a safra de trigo daquele ano. Esperava por aventuras e ação. Claro que não queria que houvessem grandes perigos, pois sabia que as pessoas contavam com aqueles grãos para seu sustento.
Em seu caminho com aqueles agricultores, William ouviu grandes histórias. Não sobre batalhas, mas sobre como a semente do trigo corre pelo campo e como ele doura sob o sol, como o pão dentro forno. Com aqueles pessoas simples de arado e ceifas, aprendeu sobre os ciclos e ponderou que eles também sabiam muito de guerra e cavalaria. Sabiam da batalha que a semente trava com a terra para sair como um pequeno broto e de seu sacrifício quando o momento da colheita chega, para sustentar e manter as pessoas daquela terra. 
Com os anos, William fez aquela viagem muitas vezes. Mas a fazia com uma reverência muito diferente e cada vez, mais profunda. Sempre voltando com uma nova inspiração e mais entendimento de como cada qual tem seu lugar e sua função nesse mundo.


O desafio é aproveitar a inspiração que as cartas trazem antes de ser direcionado pelo seu conhecimento prévio do significado das cartas ou do que está escrito nos livros de estudo. Se você estiver jogando, a primeira carta que aparecer, vai para a sua leitura, e você ainda pode colocar partes da sua história na leitura também.

Tente com 5 cartas tiradas aleatoriamente. Para melhores resultados, tente usar uma baralho que você veja pouco, assim as imagens estarão bem fresquinhas.

Se quiser, relate sua experiência! É possível traduzi-la para o inglês e dividir com o a autora do jogo e do post, Jude Alexander.

Pietra, playing on...

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Uma copa de café

Ganhei do Emanuel um gostoso e regional café de Três Corações.

Café nos acalma. Nos anima. Nos coloca em clima de confraternização. Oferecemos café para quem nos visita. Meus ancestrais viveram de café por algum tempo.

Tudo de copas... Amizade. Ancestralidade. Carinho. Café.

Energias e tarot

Ouvindo um pouco do trabalho do americano Paris Finley, www.tarotbyparis.com , me peguei muito interessada no que ele apresenta sobre energias e como cada arcano é uma energia e que pode ser uma excelente representação ou de arcanos reversos ou de possibilidades dentro de um mesmo arcano.

O que Paris nos diz é que cada carta tem a sua energia e que, geralmente, é o que mais comumente entendemos sobre os arcando. Coisas de estudos, mesmo. Porém, existem momentos em diferentes leituras e contextos podemos perceber que algumas cartas podem estar potencializadas ou enfraquecidas.

Ai, uma das coisas interessantes sobre isso é que ele estabeleceu que uma carta reversa seria uma carta com pouca energia e isso poderia ser estabelecido tanto pelo contexto que se insere quanto por sair de cabeça para baixo.

Acho que, dessa forma de olhar, é sempre importante perceber como as cartas estão dadas, porque sim, os arcanos, em seu ser, podem ir em extremos. E como saber?

Percepção. Contexto. Atenção. Conhecimento.

Vamos experimentar essa idéia?

Vamos escolher um arcano: 6 de ouros. O que esse arcano pode significar?
Generosidade.
Daí começamos. De quem para quem? Sua para outrém? É importante saber receber a generosidade do outro.
Com mais energia pode ser um arcano de muito mão aberta, talvez até levando pérolas aos porcos.
Com pouca energia, pode ser não saber exatamente com quem lidar ou pode ser de aceitar qualquer coisa de qualquer um.

Bom, fica o convite para essa reflexão sobre as energias do tarot.

Pietra

domingo, 13 de novembro de 2011

Jogar o Tarot Game online

Para quem quiser experimentar, chegou o momento!

Estou ofreciendo momentos de jogo online: individual, em grupo de amigos ou com outras pessoas que também gostariam de experimentar.

Para agendar com seu grupo ou individualmente, ou para tirar dúvidas, escreva! dichiaroluna@gmail.com

Investimento individual: R$30,00

Para saber mais, clique aqui!

sábado, 12 de novembro de 2011

Quando o arcano vem em sonho

Empress
Wizards Tarot
Por esses tempos, joguei o Tarot Game com a amiga Petrucia Finkler. E numas conversas sobre casa e como lidar bem com o lance de ser esposa, assalariada, amiga, irmã etc e tal, um arcano apareceu para ambas... A Imperatriz. E no meu momento, foi para falar de como eu me nutro e como nutro os outros.

Para mim, ficou uma coisa de fazer coisas que me fazem bem... me cuidar, me dar bons: bons momentos, boas lembranças, boas músicas, boas palavras.

Para os outros, eu gosto de deixar as pessoas se sentindo cuidadas e acolhidas. E foi quando me bateu: acho que da rainha do lar, é trabalho dela que as pessoas se sintam confortáveis quando dentro do seu reino. Inclusive, e quiçá principalmente, seu rei.

Isso tudo me deu um ânimo diferente, sabe? E vim fazendo as coisas de forma que todos, eu, meu marido, meus bichos, se sintam bem.

Hoje, sonhei que estava grávida. Que tinha uma barriga redondinha, não muito grande. Quer era uma menina, que teria o nome que eu quero. Que o pai é meu marido e que ele que contava a todo mundo. Estávamos felizes com a tremenda novidade.

Acordei feliz.

É como se a Imperatriz viesse para dizer: está indo bem... é o caminho para gerar, crescer e ser e fazer paz e alegria.

É... feliz já sou =)
Pietra

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

E quando é com vc?

Tirei minha lunação com meus queridos alunos ontem, na aula de tiragens. E foi muito engraçado pq falamos mt de como o tarólogo precisa tb lidar com as situações que o tarot apresenta, afinal de contas, se fazemos para o consulente, pq não no olhamos?

Fato, pq tb temos medos, receios e senões. E isso fica mt claro quando, analisando as cartas que vieram, vemos como temos de lidar com os arcanos encardidos, como Torres e 9 de espadas.

Bom. Para esta que lhes escreve veio uma indefectível Torre.

E na hora, nossa, queria que tivessem visto a minha cara. 😱

Agora, mais calma e depois d conversar um tantão com as pessoas, preciso dizer que dou boas vindas à Torre para que chacoalhe tudo oq vem me incomodando e meu causando mal estar.

Tem assuntos na vida que precisam mesmo de um céu claro para nos deixar inspirar.

Pietra

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Encontro Chá de Tarot

Em Santo André, SP, na Casa de Bruxa.

Sábado, 12/11 a partir das 15hs.

Vamos?

Tarot e capitalismo

Eu juro que não vou fazer uma escrita sobre ideologias pró ou contra capitalismo, pois, como eu conversei com meu marido numa ocasião, o sistema que vivemos está aí e nós que temos as armas para fazer as coisas melhores ou piores.

O que eu quero refletir um pouco é sobre como uma coisa que amamos acaba por virar o objeto de ganância, controle ou censura.

Eu imagino que, quando um autor desenha um deck, escreve um livro, ou coloca à público qualquer manifestação artística ou informativa, deseja que esse trabalho sirva ao seu propósito de arte ou de informação. E assim, vai ter quem ame e quem não goste. Mas que ele exista e flua.

Bem, com a organização do nosso mundo, empresas se tornam a forma com a qual podemos ter acesso às produções. Isso quer dizer que, ou estamos rendidos a um ou outro empresário que publique, importe ou distribua ou ainda - e pior - não conseguimos mal e mal que nossos trabalhos se distribuam senão via web.

O que eu quero dizer com tudo isso?

Que eu sinceramente sinto muito o fato de termos que esperar uma loucura de tempo para ter um novo deck ou livro no Brasil. Ou pq não se publica ou pq se publica mau ou pq existe um monopólio na distribuição. Porque também temos que pagar impostos nojentos pelos produtos que desejamos acesso.

Assim quero convidar a quem tem um trabalho, que o compartilhe. Muitos decks nos EUA são o que chamamos de self-published, ou seja, produzido pelo autor. Podemos colocar nossos escritos em blogs, até no Kindle. Vamos conhecer trabalhos feitos pelos seus autores e ver como o tarot pode ser feito e curtido longe dos dedos gananciosos de quem trata nosso amor, nosso dom, nosso estudo como mero lucro.
Pietra

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Aprendi com o Eremita

Estar com o Eremita durante o mês, me fez fazer vários questionamentos e, graças aos Deuses, dividir algum conhecimento via minhas experiências.

Tanto por isso, gostaria de dividir algumas aqui...

Kim Waters Tarot Project
http://www.kimwatersart.net/pages/Tarot.html
- Quando o Eremita aparece, não importa o que vc faça, vc sempre trabalha melhor sozinha... É como se a sua natureza afloresse de um jeito - e a minha natureza é um tremendo Hierofante - que não é possível fazer de outra forma que não aquela que está dentro de você. E se você não sabe qual é, não imagina quanto susto vai levar!

- Quando o Eremita aparece, ele ilumina com o a lanterna... e pouco se vê das lanternas dos outros... e se pensamos em termos de ampulheta, bom, acho que vemos pouco o tempo dos outros também.

O Eremita pode mesmo falar de isolamento... de uma reflexão bem pessoal do que se fez até então para que a Roda gire.

Acho que é um dos pensamentos pertinentes, sabe? Do que eu ainda quero, o que vou levar comigo, quem eu realmente sou, antes que um novo momento aconteça.

Pietra, iluminando.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Suma Sacerdotisa


Jogando o Tarot Game trial version com a Jude semana passada, pensei em uma pequena leitura para mim.

A coisa foi indo super bem, pensamos numas estratégias novas, mesmo porque ela vai fazer esse novo tabuleiro para viajem e a coisa toda.

E foi testando a parte dos arcanos maiores, pintou a Sacerdotisa.

A coisa em si não mudou muito: quando aparece um arcano maior, vc responde uma pergunta. A minha foi:

"Quando você se sente mais autêntica?"

E, vendo aquela sacerdotisa, com aquelas cores brancas e pretas, me bateram duas coisas: 1) como é difícil colocar em palavras o que é da Suma Sacerdotisa; 2) como é o nosso ofício que nos define e como a Sacerdotisa nos ajuda a ver essência.

Bom, como uma pessoa preponderantemente 5, acredito que me sinto mais autêntica quando posso partilhar algum conhecimento com alguém.

Estou com um pouco de "food for thought"... mas me impressiona como essas perguntinhas dos arcanos maiores do Tarot Game pegam a gente.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

De ver as coisas acontecendo

Quando conheci o Tarot Game, via podcast, pensei: olha que coisa bacana. O mundo do tarot está se movimentando para além dos novos decks e livros.

E posso dizer hoje que tive uma experiência boa com isso, pq além de promover um evento, eu pude participar de mais 2 - só esse ano. Isso dá uma ótima perspectiva de como as pessoas estão, tb, querendo ver as coisas acontecerem.

Muito bem. Semana passada, participei de um outro movimento muito interessante. Joguei um versão trial do Tarot Game que a autora, Jude Alexander, está preparando para viagens. E tenho que dizer que amei.

Um novo tabuleiro, novas atividades, uma forma bem dinâmica de jogar. E isso me inspirou!

Estou aqui pensando em fazer jogos online para pessoas do Brasil todo terem essa oportunidade.

Assim, vamos movimentando a nossa comunidade com coisas novas e juntando pessoas afins.

E sim, ano que vem teremos o encontro do Dia Mundial do Tarot e Confraria Brasileira.

Vamos?
Pietra

domingo, 30 de outubro de 2011

Chá de Tarot com Tarot Game

Vamos jogar?

Um dos encontros do Chá de Tarot de novembro acontece no Faces da Lua, em SP e será uma oportunidade de lidar com o tarot de uma forma lúdica e muito interessante!

Dia 5 de novembro de 2011, sábado - a partir das 15hs.
Faces da Lua - http://www.facesdalua.com.br

Dúvidas?
dichiaroluna@gmail.com

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

E quando uma carta encardida sai como conselho?

Uma coisa que aprendi esse ano é a importância que existe em dar ao consulente poder.

Por quê?

Oras bolas, se a pessoa que vem te procurar dificilmente o faz porque está feliz da vida, por que não dar a ela uma chance de, além de estar com a leitura engatilhada, se dermos um bom conselho, damos para a pessoa um gás para ela ir mais além e fazer o que precisa ser feito.

A entrada que eu dou para quem tira essa última carta da leitura é: o que você precisa fazer para ser o melhor você que for possível?

Agora, é muito legal quando vem uma carta como um Mundo ou um 3 de copas... só que por vezes é uma carta encardida... e aí?

Housewives Tarot
Simples... é perceber que lição vem dela.

Por exemplo, 5 de espadas. Geralmente vem um sentimento de: ai, meu deus... alguém vai passar por cima de mim... Então, olhando a coisa toda, vendo todos os possíveis cortes que vem, o que pensamos: que sejamos humildes para compreender o que é conosco, mas que não sejamos bobos para deixar que pisem em cima. E qual a diferença? Um sentimento interior.

Sabe, tem horas que tudo é uma questão de colocar a vida em perspectiva e saber que não somos tão lindos, tão legais ou tão inteligentes quanto pensávamos.

Sim, quando um 5 vem como conselho, é um de desestabilizar para podermos ganhar uma certa perspectiva, aprender alguma coisa - O Hierofante, não é mesmo?

Assim, fica o convite, qual é a lição da carta que vc considera mais encardida?
Pietra

sábado, 22 de outubro de 2011

Um deck maravilhoso - Legacy of the Divine Tarot

do Ciro Marchetti.

Quando o Nei Naiff fez a proposta de fazermos um tabuleiro de tarot na sala de Tarô e Oráculos da Mystic Fair esse ano, pensei que haveria uma enxurrada de cópias de cartas do Shadowscapes Tarot - que eu penso ser um dos decks mais lindos, mais belamente ilustrados que eu conheço. Sabe qual foi a minha surpresa? Das cartas que foram trazidas, 40% eram cartas do Ciro Marchetti... Preponderantemente o Gilded Tarot. Mas o Dream e o Legacy tb figuraram.

E eu fiquei pensando: como é que esses decks atraem tanto? Simplesmente porque eles têm um cuidado e tratamento de imagem muito bem feito.

A qualidade imagética está na sua estrutura, claro, mas vale dizer que existe uma consistência simbólica. Assim, é como ver uma fotografia do que sabemos que está lá, aliado com imagens de tempos distantes ou dimensões paralelas.
São decks que transportam, que apresentam possibilidades que fazem a imaginação ir longe.

Um detalhe também importante dos decks é que o Ciro é tarólogo. E é artista. E penso que isso faz muita diferença, pois uma pessoa que conhece o significado e os signos de cada arcano pode deixar o trabalho fluir, sem criar um deck escalafobético.

Legacy of the Divine Tarot além de todo isso, conta uma história.

O que aconteceu com aquela civilização que sumiu, mas que deixou nesse deck suas lições e sua História? E eu fico aqui pensando com meus botões, se a nossa civilização se fosse, será que nossos movimentos não estariam mesmo no nosso tarot? E como será que outros compreenderiam os símbolos, em um outro tempo?

Visite o site do Ciro Marchetti, conheça seu trabalho e apaixone-se também!

Pietra

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

4 de espadas

Sabe quando uma carta aparece pra vc no seu mexer diário com o tarot quase todos os dias?

Assim anda acontecendo com o 4 de espadas.

Tarot of Trees
http://www.tarotoftrees.com/
Engraçado que, nas tiragens mensais que eu faço para mim, ele não é um arroz de festa como é o Cavaleiro de Copas, por exemplo, ou como O Mago andou fazendo, mas nas olhadas diárias e conversas de "como vai ser o dia"?

E por dias, o 4 de espadas vinha e voltava.

E eu, vinha e voltava com ele. Parava. Tentava me organizar... Mas sabe quando sempre fica uma coisa na sua cabeça? Uma que, em tempos de Eremita, deveria fazer com que vc dormisse uma boa noite e, na manhã seguinte, pudesse lidar melhor com as coisas. Pois bem... não rolou.

Sabe quando tudo parece que apurrinha? Irrita? Chateia? Sabe quando é 8 de espadas? Pois é.

Então, uma coisa muito boa e muito prática me ajudou a me acalmar e a ter a paz, a colocar uma espada do lado da outra: escrever.

E não me refiro a escrever linhas e linhas como eu gosto e costumo fazer. Foi escrever roteiros. Curtos - fiz isso, agora isso... agora falta X. Pronto.

Planejamento é uma coisa que me deixa muito segura - jura casa 10 em Capricórnio e casa 6 em Virgem? Juro!

Acredito que isso foi um movimento do Eremita: o que vc, pessoa, precisa fazer para resolver isso? E aí, se aprende ou se usa uma estratégia. Agora, se sair um 4 de espadas pros meus lances de trabalho, vou saber: pare, escreva o que vc precisa fazer, siga em frente.

Pietra, carregando post-its.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Keep hungry, keep foolish

Legacy of the Divine Tarot
Quando Steve Jobs falou "mantenha-se faminto, mantenha-se bobo" no seu famoso discursso em Stanford, CA, falando inclusive de que esta foi uma frase que o marcou. Ela estava num almanaque que, quando ele era adolescente, era quase como a Wikipedia.

Quando eu ouvi essa parte do discurso, imediatamente, pensei no Louco... Pulando, saindo, voando, correndo, olhando para cima, seguindo... com seu cachorro...

Um louco que inventa uma coisa que converge música, internet, telefone...

Se o tarot fosse feito hoje, lá, na malinha do Louco teria um iPhone =) E o cachorrinho diria: recarregue! Não esqueça o carregador!

Onde vamos com isso? Aprofundando nossas relações, possibilidades de ler livros, falar com pessoas... iMessage, Facetime, Kindle...

Ficamos bobos com tanta tecnologia, com coisas legais... temos fome... de aprender e fazer mais!

Pietra, hungry and foolish

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Tarot e escrita

A minha palestra na Mystic Fair foi sobre Tarot Journaling, ou seja, sobre fazer um diário de tarot. E como é importante que mantenhamos nossos registros, pois é por meio deles que podemos ver as nossas marcas.

Imagem:
http://101nights.wordpress.com/

Palavras são marcas. São símbolos para usarmos na significação de símbolos - os dos arcanos.

E isso foi o que eu achei mais engraçado... quase paradoxal. Que precisamos das palavras para concretizar nossos pensamentos, nossa trilha com outros símbolos, com o outro código que é o tarot. E nem sempre as palavras conseguem exprimir o que tem no signo que o tarot carrega.

Escrever nos ajuda a manter. E a observar, avaliar, mudar de ideia e saber o que e quanto crescemos... ou mudamos nossas hipóteses. Nos ajuda a ver o que vivemos e como as coisas se dão na teoria, claro, precisamos estudar, mas também na prática.

Por isso, eu convido.
Anote leituras.
Pontos importantes de livros.
Ideias que aparecem frente a arcanos.
Seja pontual e conceitual.
Seja livre e associe ideias.
Tenha lembranças.

E o principal... não escreva por escrever, que não seja qualquer coisa.
Escreva, conte ao papel ou ao computador ou ao tablet (o que é o formato hoje em dia?) o que vale a pena ser contato. O que parece simples, mas pela sua percepção, entendimento ou vivência ganham poesia... ganham um significado em si e a beleza de se relacionarem e fazerem sentido.

Pietra, escrevendo.

domingo, 16 de outubro de 2011

Aplicações práticas

Uma forma de olhar e aprender o tarot é ver como ele se dá na nossa vida... isso ajuda a acabar com o obscurantismo e com o sobrenatural e nos ajuda a ver como o tarot é sim instrumento: de previsão que nos ensina quem somos em momentos todos da vida... instrumento para percemos os movimentos humanos.

Bom, vamos fazendo umas tentativas... Onde estão na vida os arcanos de tarot.
Tira a carta e observa... como podemos transformar uma "cartinha" de tarot numa situação da vida?

Bom, hoje aconteceu uma coisa curiosa com A Justiça. E até com espadas.

Druidcraft Tarot
Depois de receber um telefone a respeito de um papel que precisava ser assinado urgentemente, mas que a pessoa que ligou não tinha ideia do que era, não me furtei. Tirei as cartas.

4 de espadas. Justiça. Cavaleiro de Espadas.

Na hora pensei... ixi... coisa legal... tomara que não seja multa (movimento do cavaleiro).

Fui até o escritório. Era um contrato. Um adendo, na verdade... e lá estava eu frente a uma coisa de Justiça (trabalhista). O lance é que eu não tinha aquele adendo e sabia disso. Quero dizer, eu sei o que tem no meu contrato e aquela clausula não é uma delas.

Foi quando veio. Justiça. Não se faça de idiota... avise que isso não faz parte. Claro que isso me fez por de lado um aumento de salário. Mas, se a Justiça veio, não ia conseguir mentir e, se o fizesse, será que o é meu, iria chegar certo no momento certo?

Justiça é reconhecer seu lugar. Saber o que é seu e o que não é. E não mentir, nesse caso, é o Justo... e mais que isso, o Verdadeiro.

Pietra

sábado, 15 de outubro de 2011

Curso online de Leituras e TIragens - dúvidas

Recebi alguns e-mails, então, vou fazer algumas considerações:

-Quem pode fazer o curso? Há pré-requisitos?
Não. O curso pode ser feito por quem lida tanto com arcanos maiores como arcanos maiores e menores juntos. Na verdade, as leituras que serão exploradas podem ser feitas com qualquer oráculo: cartas ciganas, ogham, runas, tarot, cartas... Sem dúvida que isso tudo ajuda na prática e nas ideias de tarot, mas qualquer um pode fazer o curso com qualquer oráculo.

- Data.
Estou pensando seriamente em colocar o curso nas quartas à noite. =)

- Valores.
O pagamento pode ser feito em 2x.
Me escreva para conversarmos.

- Skype. É preciso =)

É isso! Começamos semana que vem!

Pietra, preparando material!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Que carregas, Eremita?

Nessa pegada de como símbolos da humanidade progridem com o tempo - e talvez, com a especulação - vejo um arcano, com um símbolo que, dentro do arquétipo, ganhou uma modificação.

O Eremita.

O senhor que caminha ou que se leva para longe da civilização, como O Louco, carrega algo... E esse algo mudou com o tempo...

Uma ampulheta era o mais comum quando as primeiras cartas de tarocchi apareceram. E, o sábio, poderia ser inclusive, corcunda. Uma pessoa que em sua diferença das pessoas, carregava nas mãos, o tempo.

Com o passar, bem, do tempo, a ampulheta se tornou uma lamparina. E, embora o formato seja muito semelhante, as funções, para o ser humano são um tanto diferentes. Será que a forma de entendê-las seja igual?
Ansata Tarot

O Eremita nos fala de afastamento e de sabedoria. Um afastamento do burburinho da civilização para um retiro para dentro de si. Onde estão as respostas? Sim, sempre dentro e com o andar solo que podemos encontrá-las, em calma e paz. Agora, a lanterna e a ampulheta. O que elas dizem?
- que a sabedoria e as respostas que estão internas iluminam o nosso caminho?
- que é o tempo que nos permite perceber as respostas que precisamos?

Não será o tempo que permite que nossas experiências e conhecimento se tornem sabedoria. E antes da mudança do tempo, A Roda, não temos mesmo o lampejo da sabedoria? O reconhecimento do que precisamos fazer para efetivamente, fazê-lo?

Como disse Steve Jobs, talvez não consigamos juntar os pontos imediatamente a medida que fazemos as coisas, que estudamos que procuramos, mas que devemos continuar procurando até que encontremos - o que amamos - o que nos satisfaz. Seja uma resposta, um trabalho, um amor, um fazer.

Anda, Eremita... senta e observa... O que te melhor te apraz? Ampulheta ou lamparina?

Pietra, buscando algumas respostas

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Símbolos vivos

Durante as palestras na sala de tarot da Mystic Fair e depois de ouvir um tantão de coisas, eu fiquei pensando em umas coisas... e uma delas é como uma coisa pode ganhar ou perder uma aura de mistério com a manifestação popular.

Nei Naiff nos levou um video, um documentário do History Channel contando um tando de como o baralho (de jogar, o comum) foi andando pelo mundo e chegou na Europa, do oriente, com soldados e comerciantes e caiu no gosto do povo... lá para a época de que Gênova era um grande centro comercial - sim, sem Atlântida... Também nos conta dos trunfos, trionfi, que fizeram com que os jogos de tarocchi ficassem mais interessantes. E ali, estavam cenas comuns ao mundo do início da renascença para todas aquelas pessoas... Um tempo quando o Papa tinha uma função muito reconhecida - e quando o cristianismo era preponderante na Europa - e na qual Morte levava MESMO todos - vide peste negra.

E assim, as pessoas se divertiam e as cartas se popularizavam, chegando até a serem proibidas... Imaginem, pessoas, a Igreja entendeu que elas levavam ao vício e que as pessoas produziam menos pq queriam jogar cartas - ah, o que não veio mais pra frente.

Bom, fato é que as coisas estavam ali. E todo mundo, 4 de copas, tinham aquilo por dado. E é aí, que a vida dos símbolos, dos desenhos, ganha um toque... e acredito que seja uma coisa que, hoje seja um tanto mais simples, pois temos mt acesso a quem faz os decks.

Imagino um dia, soldados jogando tarocchi. Do nada, um começa a olhar mais torto para as cartas. Pensa alto:
- Este rei tem 4 braços. Ninguém tem 4 braços. Por que será?
O outro, cerrando os olhos para ver a imagem melhor, responde:
- Nossa. Verdade. De onde será que isso veio.
Um terceiro que passava, ouve a conversa, e esclarece:
- Bom, eu ouvi dizer que no oriente existem mesmo homens que tem 4 braços e estátuas de homens azuis com muitos braços.
O primeiro, animado com a respostas e incitado pelo mistério de uma terra tão distante, logo emenda:
- É mesmo. Talvez esse seja um rei com muitas habilidades, capaz de lidar com muitas coisas...

Nem preciso dizer o que eu quero dizer com isso. As ideias vão longe. Depois de um tempo, quando os arcanos maiores foram ganhando seus símbolos, as conjecturas cresceram mais e mais e assim, se encontram símbolos massônicos, iluminatti, budistas, islâmicos e o que mais desejemos. Por quê?

Oras bolas, porque os símbolos e as representações são dadas a todos os grupos humanos e com o crescer humano no mundo, eles vão ganhando mais e mais significações. Claro que algumas coisas são mais universais, outros, pelas características culturais, ganham nuances. E esses nuances, talvez, se tornem mistérios. Por isso eu sempre penso - e convido:

- O que será que isso (insira arcano maior) significa (significou) para a humanidade?

Conhecer o núcleo do símbolo, pode não matar o mistério, mas mata a especulação psíca...

Quanto aos arcanos menores? Bom, é sempre importante lembrar que estamos lidando com um conjunto que foi feito para jogar, divertir, distrair... como nosso sistema de contagem... 1, 2, 3...

Pietra

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Tarot como obra de arte

Comprei, recentemente o deck Golden Tarot, da Kat Black. E preciso dizer que estou imensamente surpreendida.

O baralho é uma obra de arte. Ele brilha... e a qualidade tanto da caixa onde ele veio, quanto das cartas, quando do livro que o acompanha é muito superior a muitas coisas já publicadas.

Este é um trabalho da US Games e Kat Black o chama de "uma homenagem a toda a herança do tarot". E, embora, muitos digam que ele é um clone - talvez renascentista - do Waite-Smith deck, Kat diz que ele é uma forma de trazer um deck moderno (Waite-Smith) ganhe uma característica renascentista. Assim, que for novo ao tarot, se sente confortável e conhece um pouco do tempo no qual o tarot foi florescendo.

O fato é que dá uma pena de usar o deck... Todo aquele dourado em volta das cartas que se percebe quando elas estão juntas pode se arruinar (toc toc toc) e que triste isso seria. Porém, eu digo: se você o embaralhar com o carinho que ele merece, é um baralho excelente para mexer.

Ainda não fiz a minha primeira leitura com ele... talvez até demore um tanto. Mas preciso dizer que esse é um deck que vale a pena ter na coleção.

Tanto pela quantidade de símbolos que são revistos - Santa Úrsula como O Mundo e o Green Man como Enforcado... Quanto pelo conjunto de beleza que ele é. Uma leitura, uma junção de várias pinturas renascentistas para fazer um deck moderno e lindo.

Alguém já leu com ele? Como foi? Assim que eu tiver uma novidade, eu conto!
Pietra, mused!

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Curso online de Tiragens e Leituras - out. 2011


Mais uma modalidade de curso online.

Vamos praticar semanalmente uma leitura diferente.
1 - A Mandala Astrológica.
2 - 3 cartas, aconselhamento de Lua Cheia.
3 - Tiragem dialogada.
4 - SURPRESA!

A partir do dia 20/10, às 20hs. Curso via Skype.
Investimento: R$90,00

Dúvidas? Inscrições?
Me escreva! dichiaroluna@gmail.com

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Roda da Fortuna

Quando a Roda virou no meu aniversário, na minha leitura do mês, caiu uma linda Roda da Fortuna.

E, é claro que, tem um tanto para ficar pensando e fazendo. Quero dizer, de cara a coisa não ficou mt claro.

Aliás, talvez seja um pouco disso, sabe? Tarot é uma coisa que precisa de tempo. De alguma maturação. E talvez, até, seja isso que a Roda venha mostrar.

Quando a Roda gira, ela muda a estação. Ela te coloca em um outro momento da vida. Pra cima ou para baixo? Que diferença que faz?

Não faz... um círculo não tem esse tipo de perspectiva... tem apenas de ciclicidade. De movimento. O certo é que, o movimento nunca para.

Quando fazemos aniversário, passamos por uma passada da Roda.
Quando o ano troca, assim se dá...
E sempre é a marca de um tempo novo.

Roda da Fortuna, pode ser sorte, claro.
Mas a sua sorte é você quem faz, não é? Quando o inverno chega, quando a roda vira que ele seja presente, saiba é momento pra sopa. Quando vira pro verão, é época pra caipirinha gelada.

O que eu quero dizer com isso?
Bom, a minha roda rodou para um lado de trabalho e de aprendizagem, assim, estou aprendendo... deixando alguns paus... sim, tem um 10 de paus na jogada... Mas tem tb um Cavaleiro de Ouros... e um 10 de copas. Oba... vamos trabalhar para curtir - quiçá - uma terceira lua de mel.

Pietra, trabalhando.